17/01/16

Chocolate quente com um toque de canela


Bem, parece que chegou o frio! Eu não morro de amores pelo frio, por mim vivia sempre naquele clima ameno entre os 18 e 22 ºC. Contudo, gosto de usar os meus casacos quentinhos, os meus cachecóis e luvas, gosto das cores do céu e do sol de inverno, gosto das tardes preguiçosas no sofá em que nos aquecemos com uma bela manta, um bolinho acabado de fazer e um chá ou chocolate quente. Não gosto de chuva nem de vento, só gosto mesmo de vê-los ao longe pela janela com a tal caneca de chá ou chocolate fumegante nas mãos! 

Este fim-de-semana foi desses, em que o sol era radioso, mas o vento era mesmo frio. O sol convidava a passeios lá fora, mas o vento rapidamente nos fazia pensar duas vezes. Depois de um sábado luminoso e frio, o domingo amanheceu cinzento, com um sol envergonhado e com uma brisa muito mas muito fresca. Estavam reunidas as condições para um domingo por casa, de aquecedor ligado, manta quentinha e chocolate quente para aquecer e deliciar os gulosos! 

É difícil encontrar um chocolate quente que adore! Umas vezes é espesso mas pouco achocolatado, outras vezes é muito doce e outras vezes é demasiado liquido! Muitas já foram as receitas que testei e que nem sempre resultaram como gosto, mas acho que desta vez, este vai tornar-se "o chocolate quente" cá de casa! Mas, só dá para quem gosta mesmo de chocolate!! 
 

Ingredientes:

Chocolate quente
115 gr de chocolate negro (70% cacau)
30 gr de chocolate menos forte (usei com 40% de cacau)
1 colher de sopa de mel
1 colher de chá de canela em pó
200 ml de leite à temperatura ambiente

Topping de chantilly de cacau e flor de sal 
200 ml de natas (usei natas vegetais)
1 colher de chá de açúcar em pó
1 pitada de flor de sal
2 colheres de chá de cacau magro em pó


Preparação:
Se optar por tomar o chocolate quente com o topping de chantilly, comece por prepará-lo da seguinte forma: bater as natas com uma batedeira elétrica na potência média, quando começaram a formar picos, adicionar o açúcar em pó e continuar a bater. Quando já estiver com consistência de chantilly, juntar o cacau em pó e a flor de sal, bater durante mais um minuto (o suficiente para incorporar completamente). Reservar o chantilly no frio enquanto prepara o chocolate quente. 

Para o chocolate quente, colocar o chocolate partido em pedaços numa taça, sobre uma panela com água a ferver (ter o cuidado do fundo da taça não tocar na água a ferver), juntar o mel ao chocolate e mexer sempre enquanto este derrete. Quando o chocolate estiver quase completamente derretido, juntar o leite, continuar a mexer até estar completamente incorporado com o chocolate. Adicionar a canela em pó e continuar a mexer até levantar uma ligeira fervura. 

Retirar do lume, distribuir o chocolate pelas canecas e deixar repousar uns minutos. Quando o chocolate fumegar apenas ligeiramente e tiver um aspecto mais escuro e espesso do que quando deitado nas canecas (cerca de 10 minutos) estará nas condições perfeitas para ser tomado! 

Servir polvilhado com cacau em pó e acompanhado com um pau de canela para mexer ou para os mais gulosos, com o topping de chantilly de cacau!

 
Espero que gostem!♥
 
Seguir também em: Facebook | Pinterest | Instagram | Bloglovin
 

12/01/16

Convidei o blog [Coco e Baunilha]

Feliz ano novo para todos! Que este ano vos traga muitas coisas boas, muitas alegrias, saúde, bons momentos e muitas comidas boas!

O primeiro post do ano chega com a partilha de um blog delicioso, cheio de coisas doces e recheadinho de lindas fotos pelas mãos da talentosa Patrícia. Durante muito tempo segui o blog da Patrícia sem saber que éramos quase vizinhas, a Patrícia, tal como eu, vive no Algarve, aqui bem pertinho de Faro, mas por incrível que pareça ainda não nos conhecemos pessoalmente apesar de constantemente trocarmos mensagens nesse sentido, mas o tempo vai passando e ainda não conseguimos. A Patrícia decidiu trazer para o Cozinha Fresh uns crepes bem adequados ao pós festas, sem culpas nem remorsos! Mas antes, vamos conhecer um pouco melhor a autora do Coco e Baunilha!

BI do Blog: Coco e Baunilha, criado em 28/10/2009 por Patrícia Nascimento.
Como nasceu o “Coco e Baunilha"?
O blog nasceu quando comprei a Bimby em 2009. Costumava pesquisar receitas no Fórum Bimby e foi aí que descobri o mundo da blogosfera culinária. Começou tudo numa brincadeira, pensei em criar o meu próprio caderno de receitas. A partir daí o entusiasmo foi aumentando e surgiram novas paixões, que desde aí têm vindo a crescer nomeadamente o desenvolvimento de receitas, food styling e fotografia.
Quem é a Patrícia fora do blog?
Sou uma pessoa simples, reservada, mãe galinha, administrativa de profissão, apaixonada por pastelaria e por cake stands. Tento conciliar todas as actividades o que por vezes não é fácil dado que o blog requer imenso tempo. Nasci e vivi durante a infância em França e a pastelaria francesa é a minha grande inspiração. Fascina-me tudo o que esteja relacionado com food styling, utensílios de cozinha, antiguidades, fotografia, revistas e livros de culinária.
O que gostas mais de cozinhar?
Eu sou mais de doces e adoro cozinhar sobremesas. De tudo um pouco mas em especial bolos e macarons. Gosto de experimentar receitas novas, de meter as mãos na massa, de sentir os aromas que se espalham na cozinha, é como uma terapia para mim. Gosto muito de cozinhar também pasta e pizzas.
Alguma historia relacionada com a cozinha?
A minha paixão por doces tem a ver com a minha infância em França. Cada vez que ia à Boulangerie comprar o pão, ficava maravilhada a olhar para as montras recheadas de bolos lindos e deliciosos. Isso fica para sempre. Quando volto a Paris, a primeira coisa que quero fazer é correr as pastelarias e provar tudo novamente. Por vezes sonho que estou a saborear um bela fatia de flan nature, o meu favorito.
País ou viagem mais marcante [ou de sonho]?
Além da forte ligação com França, a viagem que mais me marcou foi a Itália, fiquei fascinada pela cidade de Roma, desde a gastronomia, a cidade, os monumentos, o romantismo, a língua... quero muito lá voltar. Viagens de sonho tenho duas, Maldivas e Tailândia.

Vamos à receita!

 
Crepes de espelta e leite de amêndoa (para 12 crepes)

Ingredientes
550g de leite de amêndoa
2 ovos
1 pitada de sal
1 colher (café) de extracto de baunilha
1 colher (sopa) de rum (opcional)
1 colher (sopa) de óleo de coco* (ou outro)
2 colher (sopa) de açúcar amarelo
250g de farinha de espelta bio (ou outra)

* O óleo de coco costuma estar sólido à temperatura ambiente por isso deverá colocar o recipiente uns minutos em banho-maria (num recipiente com água quente) até derreter.

Preparação:

Thermomix- Bimby: Colocar todos os ingredientes, excepto a farinha, no copo e misturar na 1min/Vel.3. Por fim juntar a farinha e misturar uns segundos na vel. 3/4, até ficar homogéneo. Deixar repousar 30 minutos.

Tradicional: Bater os ovos, juntar o leite de amêndoa, a baunilha, o sal e o rum e bater novamente. Por fim juntar a farinha e bater até obter um creme homogéneo.Deixar repousar 30 minutos.
Aquecer uma frigideira pequena anti-aderente (com Ø20) . Embeber um pouco de papel cozinha em azeite e passar na frigideira (repetir esta operação entre cada crepe). Verter uma porção de massa (meia colher de concha). Com uma espátula descolar as laterais e assim que estiver dourada virar do outro lado e deixar dourar. Continuar o processo até terminar a massa.


Pasta de avelã e cacau

Ingredientes:
200g de avelãs
3 colheres (sopa) de cacau
1 colher (sopa) de chocolate em pó
90g de xarope de ágave
4 colheres (sopa) de óleo de coco*
Leite de avelã (ou amêndoa) q.b.
1 pitada de sal

Preparação:
Pré-aquecer o forno a 200°C. Dispor as avelãs num tabuleiro e levar ao forno cerca de 5 minutos. Retirar e deixar arrefecer. Colocar as avelãs num pano de cozinha e esfregar de forma a retirar a descolar a pele das mesmas. Colocar as avelãs num robot (ou Bimby) e triturar na velocidade máxima até ficar em farinha. Durante este processo, fazer pequenas pausas para não sobreaquecer a máquina e voltar a triturar. Continue a triturar até se formar uma pasta oleosa, nesta etapa o óleo irá começar a separar-se. Juntar os restantes ingredientes, excepto o leite, e triturar novamente até ficar homogéneo. Acrescentar leite de avelã ou amêndoa, uma colher de sopa de cada vez e triturar até obter a consistência de um creme macio. Conservar num frasco. 

Espero que tenham gostado tanto como eu de ter conhecido melhor a Patrícia e o seu Coco e Baunilha ♥ (eu vou experimentar estes crepes, de certeza!)

29/12/15

Queques de bacalhau


E de repente já passou o Natal e estamos mesmo a terminar o ano. A azáfama do final do ano é sempre muita, há trabalho para acabar, há planos para o final do ano, há a renovação dos planos para o próximo ano.

É tempo de fazer balanços, de renovar as metas e objectivos, de pensar em desejos e fazer votos para que os que nos rodeiam tenham um bom ano. É isso que desejo a todos os que passam por aqui e que nos vão acompanhando ao longo do ano, que seja um ano cheio de desejos concretizados, com muita saúde, amor, amizade e boas receitas!

Estes queques resultaram das sobras do bacalhau tradicional que foi para a mesa na noite da consoada. São óptimos como entrada para um jantar de amigos ou como prato principal acompanhados por uma boa salada verde.

 

Ingredientes:
250 gr de cenouras
1 posta de bacalhau cozida (grande)
80 gr de queijo mozarela ralado
2 ovos
2 iogurtes naturais
220 gr de farinha para bolos
1 colher (de chá) de fermento em pó
1 dl de azeite
1 ramo (pequeno) de salsa

Preparação:
Pré-aquecer o forno a 180 ºC. Preparar as formas de queque untando com um pouco de manteiga e polvilhando com farinha. 
Descascar e ralar as cenouras. Reservar.
Desfiar o bacalhau e reservar.
Bater os ovos com uma pitada de sal até duplicarem o seu volume. Acrescentar o azeite em fio batendo sempre, juntar os iogurtes, a farinha e o fermento e bater muito bem.
Juntar ao preparado anterior o bacalhau, o queijo ralado e a salsa picada, misturar tudo delicadamente.
Dividir a mistura pelas formas e levar ao forno durante +/- 20 minutos. Quando os queques estiverem cozidos retire-os do forno (fazer o teste do palito), deixar arrefecer um pouco, desenformar e sirvir mornos ou frios, acompanhados com um molho de iogurte e lima.


22/12/15

Tarte de batata doce e frutos secos



Mesmo com o Natal à porta, e espero que ainda a tempo de vos dar uma receita para estes dias de festa, hoje apresento-vos uma tarte que para mim cheira mesmo a Natal. Eu não me sinto ainda completamente em modo de Natal, é estranho, mas para mim parece que ainda não estamos no Natal, apesar de haver luzes, árvores, música e gente atarefada com presentes por todo o lado, eu ainda não me convenci que daqui a 4 dias estamos no Natal! Acho que é por causa da falta de frio e das imensas coisas que tenho tido na cabeça nas últimas semanas. Apesar de tudo isto, tenho uma linda árvore de Natal e os presentes embrulhados e prontos a distribuir.

Já disse por diferentes ocasiões que sou mega fã de pasteis de batata doce (ou azevias), adoro desde sempre e para mim, Natal sem pasteis de batata doce não é Natal (se calhar é isso que falta… ainda não comi um pastel este ano!). Desde pequena que via a minha mãe fazer, adorava aquele dia, aquela azáfama à volta do alguidar de amassar a massa, mas ela não gostava nada, mesmo nada, que nós andássemos por ali a mexer na massa, a lamber a colher do recheio, etc. Sempre ela fez uma caixa cheia de pastéis para comermos e partilharmos com as visitas nesta quadra. Depois comecei eu também a fazer, sempre que posso e que me sinto com vontade de passar um serão a amassar, moldar e fritar pastéis, não hesito! Dá trabalho, mas no fim compensa. Nos últimos anos, tenho feito com uma amiga, mas este ano nem uma nem outra se sentia capaz de fazer (e comer) estes belos pastéis, então, decidi optar por uma alternativa, não menos natalícia e com os mesmos sabores usados nos pastéis.
Espero que gostem. Quem provou gostou!


Ingredientes:
Massa
150 farinha (fina para bolos)
50 gr de manteiga sem sal (à temperatura ambiente)
1 ovo (tam. L)
1 pitada de sal
50 gr de açúcar em pó

Recheio
3 batatas doces (cerca de 650 gr quando cruas
1 pitada de sal
150 gr de açúcar amarelo
50 gr de miolo de amêndoa
50 gr de miolo de noz
50 gr de manteiga sem sal
1 colher (de sopa) de maisena
3 ovos (tam. L)
30 gr de amêndoa laminada
canela q.b.

Preparação:

Massa
A massa é igual à usada na base nestas tarteletes. Numa taça grande, misturar a farinha, o açúcar em pó e o sal. Abrir um buraco no meio desta mistura e colocar o ovo batido e a manteiga, envolver com a ponta dos dedos até formar uma massa. 
No inicio, a massa cola-se aos dedos, deverá continuar a envolver até que a massa comece a desprender. Formar uma bola com a massa, tapar com um pano uma mantinha e deixar repousar durante 30 minutos. 
Colocar a bola de massa entre duas folhas de papel vegetal e estendê-la até obter um círculo do tamanho da forma a usar. Retirar a folha de papel superior e manter a debaixo. Transferir a massa para a forma com o papel vegetal e ajeitar a massa nos rebordos.

Recheio
Lavar muito bem as batatas doces, colocá-las num tacho, cobrir com água, temperar com uma pitada de sal e levar ao lume para cozer. Deixar cozer até as batatas estarem bem macias. Retirar as batatas do tacho e deixar arrefecer ligeiramente.
Pré-aquecer o forno a 180 ºC.
Entretanto, triturar o miolo de amêndoa e de noz até obter um granulado bem fino. Misturar este preparado com a maisena e reservar.
Retirar a pele das batatas e cortá-las em bocados grandes. Colocar as batatas num robot de cozinha e triturar muito bem. Juntar o açúcar amarelo e a manteiga, triturar novamente. Adicionar os miolos de amêndoa e noz, voltando a triturar mais uns segundos. Por fim, adicionar os ovos e triturar mais uns segundos até obter uma massa bem homogénea. Se necessário, entre adições, raspar as paredes do copo do robot de forma a envolver a massa retida. 

Montagem
Verter o recheio sobre a massa previamente preparada e alisar a superfície para que esta fique uniforme. Espalhar a amêndoa laminada sobre o recheio. Cortar o excedentes de massa nos rebordos. Levar ao forno durante cerca de 40 minutos. 
Retirar do forno e deixar arrefecer. Polvilhar com açúcar em pó e canela antes de servir (eu esqueci-me desta parte antes de fotografar...).

Não tenho foto do interior porque esta tarte foi para um lanche de aniversário, mas posso dizer que as pessoas que provaram gostaram muito. Não é muito doce, para quem gosta de batata doce e canela, é perfeita!

[As fotos não estão totalmente do meu agrado, espero que as próximas fiquem mais ao meu gosto depois do lindo dia que passei ontem e do que aprendi, quem me segue no Instagram sabe do que falo, quem não segue, passe por lá! Nos próximos dias vou falar e mostrar um bocadinho desse dia!]

Seguir também em: Facebook | Pinterest | Instagram | Bloglovin

17/12/15

Tarteletes de maçã e queijo de cabra


Nem acredito que estamos mesmo a terminar mais um ano. Ainda não estou totalmente convencida, não sei se é porque ainda não faz o frio habitual de Dezembro, se é porque acho que o ano passou depressa demais! Ainda ontem estávamos a terminar as férias de Verão e já estamos no Natal!! Será que sou só eu que ando assim? Quando penso no que fazer para partilhar aqui no blog, ainda não me surgem as receitas de Natal ou de festa, porque na realidade ainda não estou nessa "fase". Quando me foi feito o convite pela Merci Chef para preparar uma receita com queijo para publicar por estes dias, estava tão hesitante pois não queria mais uma receita com chocolate nem queria algo muito natalício.

Após alguma reflexão pensei numa entrada que por algumas vezes já tenho comido em restaurantes e casa de amigos em que se combina a maçã com o queijo chévre. Estava decidido, umas tarteletes com queijo, maçã e mel! Nós cá em casa somos grandes apreciadores de queijos, estão sempre presentes nas nossas entradas e petiscos. Para estas tarteletes a escolha recaiu sobre o queijo de cabra de Sainte Maure. Uma feliz combinação que se transformou numa experiência soberba! Talvez uma das melhores sobremesas que já comi!

Experimentem pois não se vão arrepender!

Ingredientes (para +/- 8 de tarteletes com 9,5 cm de diâmetro):

Massa
300 gr farinha (fina para bolos)
100 gr de manteiga sem sal (à temperatura ambiente)
2 ovo (tam. L)
1 pitada de sal
100 gr de açúcar em pó

Recheio
170 gr de queijo de cabra Merci Chef
1 colher de sopa de sumo de limão
1 pitada de sal
3 maçãs Royal Gala fatiadas
3 colheres de sopa de manteiga sem sal
¾ de chávena de mel
½ colher de chá de canela em pó


Preparação:


Massa
Numa taça grande, misturar a farinha, o açúcar em pó e o sal. Abrir um buraco no meio desta mistura e colocar o ovo batido e a manteiga, envolver com a ponta dos dedos até formar uma massa.
No inicio, a massa cola-se aos dedos, deverá continuar a envolver até que a massa comece a desprender. Formar uma bola com a massa, tapar com um pano ou uma mantinha e deixar repousar durante 30 minutos.
Colocar a bola de massa entre duas folhas de papel vegetal e estendê-la até obter círculos do tamanho das formas a usar. Retirar a folha de papel superior e manter a debaixo, usar uma taça com +/- 13 cm para cortar a massa. Retirar o papel vegetal debaixo, transferir os círculos de massa para as formas e ajeitar a massa nos rebordos.

Recheio
 
Misturar o queijo com o sumo de limão, 1 colher (de sopa) de mel e o sal até obter uma mistura cremosa. Reservar.
Misturar o restante mel e a manteiga até obter uma mistura uniforme.

Montagem
Colocar uma colher de sopa de mistura de queijo sobre a massa previamente preparada. Dispor as fatias de maçã sobre a mistura de queijo. Cobrir com a mistura de mel. Polvilhar com canela. Recortar o excedente de massa nos rebordos.
Levar ao forno durante cerca de 35 minutos, ou até a massa e a maçã estarem bem douradinhas.
Servir as tarteletes mornas. (Opção gulosa: acompanhar as tarteletes com uma bola de gelado).


Seguir também em: Facebook | Pinterest | Instagram | Bloglovin

02/12/15

Giveaway de Natal com Coisas do Monte



Com o inicio do mês de Dezembro, chega ao blog um giveaway delicioso em parceria com a marca Coisas do Monte

Coisas do Monte é uma marca criada por uma amiga muito querida que pegou nos excedentes agrícolas da sua quinta e com o intuito de oferecer iguarias com saber verdadeiro começou a produzir Doces e Compotas, Licores, Frutas e Legumes Desidratados. Tudo o que oferece é feito com muita dedicação e carinho, repleto de muito sabor, sem corantes nem conservantes (mais informações aqui). 

Em parceria com a Coisas do Monte temos para oferecer um cabaz composto por: uma compota de alperce, um pacote de maçã desidratada, um pacote de tangerina desidratada, um pacote de chá de cidreira e um pote de sal com ervas aromáticas.

Para se habilitarem a ganhar este cabaz:

1. Fazer Gosto/Like na página do Cozinha Fresh
2. Fazer Gosto/Like na página da Coisas do Monte
3. Partilhar publicamente o giveaway no vosso mural 
4. Comentar o post do giveaway na página do Cozinha Fresh e identificar dois amigos
[as instruções também estão todas na página Cozinha Fresh e do Coisas do Monte]

Condições:

1. Permitida apenas uma participação por cada pessoa.
2. O vencedor será escolhido por sorteio através do random.org. 
3. O passatempo termina às 23:59h do dia 15/12/2015
4. O resultado do passatempo será anunciado até ao dia 17/12/2015. 
5. O passatempo é válido para Portugal continental e Ilhas. 

Espero que gostem e boa sorte! ♥

23/11/15

Convidei o blog [Marmita]

Eis que chega mais uma edição do "Convidei o blog..." desta vez temos por cá o blog Marmita, que tem por detrás a Sandra, uma designer de profissão com a fotografia, a comida e as viagens no coração. Há imenso tempo que sigo o blog da Sandra, adoro as comidas diferentes que nos transportam para lugares longínquos, as lindas fotos e as frases que sempre adiciona às suas imagens, sempre lindas e perfeitamente conectadas com o que nos apresenta. Sempre que visito o blog Marmita, fico deslumbrada com as cores e as combinações. Adoro! 
 
Desde que criei esta rubrica que este blog estava na lista. Confesso que quando convidei a Sandra, foi assim um bocadinho a medo, achava mesmo que ela não ia aceitar. Quando vi o mail em que ela dizia que aceitava, fiquei mesmo contente, assim a sorrir para o monitor, tipo maluquinha (ahaha)! A Sandra é uma amante de viagens assim como eu, como tal, quando fiz o convite, propus que a Sandra nos presenteasse com uma receita que nos fizesse viajar sem sair do lugar, bem ao seu estilo! E não é que sem que ela soubesse, escolheu uma receita de um dos países que está na minha lista, daqueles que adorava mesmo ir e que um dia destes vou mesmo: Índia!
 
Deliciem-se com este belo refresco e conheçam um pouco melhor a autora do "Marmita".


Lassi de manga, maçã e tâmaras

Ingredientes: (1 litro)
1 manga madura
1 maçã bravo esmolfe
1 iogurte natural (usei tipo grego)
500 ml de água (usei fresca)
3 tâmaras sem caroço
1/2 colher de chá de açafrão das Índias (ralado ou em pó)
Adoce a gosto (opcional) 


Preparação:

Numa liquidificadora ou robot de cozinha colocar uma manga descascada e sem caroço, uma maçã igualmente descascada e partida em quatro, o iogurte natural, eu usei tipo grego por ser mais cremoso, as tâmaras sem o caroço e por fim a água, passar tudo muito bem até ficar um néctar bem cremoso. 
 
 
Passe o néctar por um coador (não muito fino) para retirar alguns dos fios que a manga larga e verta para uma jarra. Já na jarra adicione o açafrão das Índias e prove. Comece por colocar apenas uma pitada de açafrão, pode não gostar do sabor. Caso tenha utilizado frutas e tâmaras maduras, quase de certeza que não vai necessitar de adicionar açúcar ou outro adoçante, que foi o meu caso. Mas isso deixo ao vosso critério, um fio de mel também deve ficar delicioso.
 
E agora, vamos lá conhecer melhor a Sandra, autora do blog Marmita:

BI do Blog 
O meu nome é Sandra, nasci e vivo na margem mais bonita do rio Tejo - a Sul. Sou Designer de profissão e sonhava ser fotografa desde pequena. Adoro cozinhar e criei o blog Marmita em maio de 2010, que é um reflexo das três coisas que me dão mais prazer fazer: design, fotografia e culinária.
 
Como nasceu o “Marmita"?
Foi em parte por iniciativa do meu marido, eu sempre gostei muito de blogs, de cozinhar e de fotografar, e andava sempre a mostrar-lhe coisas que ia encontrando pela internet, ele um dia disse-me que deveria fazer um meu (acho que andava era farto de me ouvir!). Inicialmente ninguém sabia que tinha um blog e até andei assim alguns anos, depois fui contando alguns amigos e colegas de trabalho que me incentivaram a fazer mais e mais. Acredita que só há cerca de uns 2 anos é que decidi colocar uma imagem minha "focada" no blog. Nunca achei importante mostrar quem eu era mas sim o que eu criava.

Quem é a Sandra fora do blog?
Uma rapariga normal, apesar de viver na margem sul trabalho em Lisboa e aproveito as horas de almoço para me inspirar para o blog, sejam em restaurantes, nas compras ou nas minhas idas ao Martim Moniz. Sou uma viciada em musica não me lembro do dia em que estive sem ouvir musica. Gosto muito de rir seja de mim ou das coisas parvas da vida. Costumo dizer que gosto de coisas que não lembra a ninguém! Musica estranha, filmes independentes, séries macabras e ao mesmo tempo sou uma romântica daquelas que chora com qualquer coisa.

O que gostas mais de cozinhar?
Um pouco de tudo, não sou muito doceira por isso tudo o que remete mais para a pastelaria prefiro comprar do que fazer. Tenho alguma tendência para misturar vários países num prato, gosto de experimentar ingredientes novos, sentir varias texturas e procurar sabores diferentes.

A minha cozinha é o reflexo dos vários países que visitei e de outros que provavelmente nunca irei visitar, pelo menos fisicamente. Digo fisicamente, porque na minha cozinha viajo todos os dias para diferentes continentes e isso sim, é das coisas que mais prazer me dá.

Alguma historia relacionada com a cozinha?
Tenho uma história um pouco engraçada que me aconteceu à aproximadamente dois anos e que acabou por ser um realizar de um sonho. Não escondo que sou uma grande fã do Jamie Oliver e de toda a sua energia. Uma blogger chamada Maria João Clavel do blog "Clavels Cook", sem nunca me conhecer pessoalmente manda-me uma mensagem a perguntar se eu gostaria de ir com ela a Londres fazer uns workshops à escola do Jamie. Sem pensar, respondi que sim! Perguntei se comigo poderia levar mais outras duas bloggers e em menos de dois meses estávamos as quatro em Londres, foi sem dúvida um momento que jamais esquecerei e que nunca teria acontecido se não tivesse este blog, foi uma experiência que vivida com um familiar ou mesmo com o meu marido não teria nem metade da magia que teve.
 
País ou viagem mais marcante [ou de sonho]?
Acho que praticamente todas as viagens que fiz foram marcantes, só vou a um país se realmente estiver apaixonada, e prefiro voltar lá várias vezes ao longo da vida do que ir a outro só por dizer que fui. Claro que Sevilha para mim será sempre a cidade que me faz largar tudo para ir. Gosto de todos os recantos, do cheiro, da luz, da comida, da musica e de lá estar com o meu marido. Sinto que é um bocado parte de mim, sem nunca ter sido... Porque não tenho qualquer relação com Espanha, costumo dizer que se me sair o Euromilhões (tenho fé) é lá que compro uma casa para a reforma.

Tenho também uma forte ligação com França, o meu marido nasceu em Paris e neste momento tenho os meus sogros a viver no sul de França. Por isso, não posso negar que cada ano que passa fico mais apaixonada pela gastronomia e toda a cultura francesa.
 
Espero que tenham gostado tanto como eu de ter conhecido melhor a Sandra e o seu Marmita ♥

15/10/15

Bolo de chocolate e castanha e a chegada da Feira de Sta. Iria


O Outono chegou e com ele o tempo das castanhas! Gosto tanto! Gosto desde pequena! Gosto dos dias de Outono, em que somos brindados com o céu azul mas nublado e com aquela brisa fresca que já pede um casaco e um lenço. Na rua encontramos os vendedores de castanhas com os seus assadores a fumegar e a perfumar o ar.

No Outono é também quando chega à cidade de Faro um dos eventos mais antigos e com grande significado para a generalidade dos farenses e arredores: a Feira de Santa Iria. Lembro-me bem dos tempos de infância e adolescência em que ir passear à cidade de Faro para ver a feira era uma emoção. Um passeio e tanto! Como qualquer criança, a grande atracção eram os carrosseis, a animação e as coisas doces que se iria comer. Do que me lembro melhor é das farturas, filhós, algodão doce, castanhas assadas e polvo assado. Ainda hoje, adoro ir à feira, adoro ver as pessoas, as cores, o apregoar popular de venda e regateio de atoalhados e edredons, as demonstrações de produtos que fazem maravilhas em casa, mas o que mais prende a atenção, como não podia deixar de ser, são as bancas de louça e acessórios para fazer bolos. Atualmente quem mais gosta de carrosseis é o mais pequeno da casa, nós gostamos de ir porque a feira faz parte da nossa vida desde pequenos e mantemos a tradição de lá ir e enfeirar! Há sempre qualquer coisa que ainda faz falta, uma taça para isto, uma forma para tarte, uma travessa para aquilo... enfim, coisas de bloger.
A pensar nas castanhas assadas e na feira de Santa Iria, no fim-de-semana passado com as primeiras castanhas do ano, fiz um bolo que as combina com o sempre amado chocolate. Uma combinação curiosa, mas muito agradável.

Bolo de castanha e chocolate
(adaptado daqui)

Ingredientes:

200 gr de chocolate negro (70% cacau)
6 ovos
80 gr de açúcar
110 gr de manteiga sem sal
150 gr de farinha de castanha (cerca de 350 gr de castanhas cruas)
sal q.b. 


Preparação:
Preparar uma forma de 20 cm forrada com papel vegetal. Pré-aquecer o forno a 180 ºC.

Partir o chocolate em pedaços e derrete-lo em banho-maria (colocar numa taça, sobre uma panela com água a ferver, sem que o fundo da taça toque na água, levar ao lume, para que a temperatura da água faça derreter o chocolate sem queimar), deixar arrefecer.

Entretanto, lavar as castanhas, dar-lhe um corte a meio, coloca-las numa panela, cobrir com água e levá-las a cozer. Retirar do lume quando estiverem bem cozidas e deixar arrefece-las ligeiramente. Pelar as castanhas e reservar até estarem completamente frias. Colocar as castanhas num robot de cozinha e triturar até formar uma espécie de farinha.

Separar as gemas das claras. Bater as claras em castelo com uma pitada de sal. Reservar.

Bater os ovos com a manteiga e o açúcar até formar um creme espesso. Juntar o chocolate derretido continuando a bater em velocidade baixa. Juntar a farinha de castanha (reservar um pouco para decoração), continuando a bater mesma velocidade. Envolver as claras em castelo, pouco a pouco, até obter uma massa leve e arejada.

Colocar na forma preparada, levar ao forno cerca de 30 a 40 minutos. O bolo deve ficar cozido, mas com a consistência húmida.

Retirar do forno, deixar arrefecer ligeiramente e depois desenformar e deixar arrefecer completamente. Decorar com a restante farinha de castanha. 


Se puderem, visitem a Feira de Santa Iria que começa já amanhã, dia 15 de Outubro e irá até ao dia 25 de Outubro, no Largo de S. Francisco.

Espero que gostem, do bolo e da feira!♥
Seguir também em: Facebook | Pinterest | Instagram | Bloglovin