17/04/14

Convidei o blog [Sweet Gula]

Eis que chega mais um "Convidei o blog", desta vez, um blog escrito no masculino. Um blog que começou há relativamente pouco tempo, só fez um aninho há poucos dias e já está tão recheado de coisas boas. Falo do blog do Célio Cruz, o Sweet Gula. Um blog carregadinho de coisas boas, principalmente docinhas, ou não fosse o Célio um guloso confesso. Sigo o blog do Célio há alguns meses, há sempre um bolinho ou docinho novo para deliciar a vista! O Célio partilha no dia-a-dia um bocadinho da sua vida, experiências, algumas tradições e a sua imensa paixão pela cozinha.

O tema continua a ser "receitas [quase] sem culpa" e para tal, o Célio preparou um bolo com um aspecto magnífico feito com beterraba e sementes. Para o tornar mais saúdável trocou a manteiga pelo óleo de girassol e o açúcar refinado por açúcar mascavado. A beterraba, como já publiquei aqui, para mim foi uma descoberta recente e também já a experimentei em bolo, asseguro que fica uma delícia. Quanto ao lindo bolo do Célio, resta-me apresentar a receita e ficar a imaginar a sua textura e sabor! Com certeza que é uma maravilha, pois o Sweet Gula já deu provas disso.


Bolo de Beterraba e Sementes
(receita adaptada do programa Nigel Slater´s Simple Suppers de Nigel Slater)

Ingredientes:
Bolo
225 gr de farinha c/ fermento
1/2 colher (de chá) de bicarbonato de sódio
1 colher ( de chá) de fermento
1/2 colher (de chá) de canela
180 ml de óleo de girassol
225 gr de açúcar mascavado
3 ovos
150 gr de beterraba cozida
sumo de 1/2 limão
75 gr de tâmaras em pedaços
75 gr de sementes (usei 25gr. de girassol + 25gr. de abóbora + 25gr. de Mix Omega 3 da Fold -linhaça/cânhamo/chia)
Glacé
8 c. (sopa) de açúcar em pó
sumo de limão


Preparação:
Pré aqueça o forno a 180ºC.

Peneire a farinha com o bicarbonato, o fermento e a canela e reserve. Numa taça, bata o açúcar com o óleo e aos poucos, vá adicionando as gemas, uma a uma, batendo sempre. Reserve as claras

Rale a beterraba e adicione-a à mistura anterior, juntamente com o sumo de limão, as tâmaras em pedacinhos pequenos e a mistura de sementes. Bata até todos os ingredientes ficarem bem ligados. Adicione a farinha, o bicarbonato, o fermento e a canela e bata a uma velocidade baixa, apenas para envolver.

Bata as claras em castelo e adicione-as à massa, envolvendo delicadamente com uma espátula. Verta a massa numa forma forrada com papel vegetal e leve ao forno a cozer cerca de 50 a 55 minutos. Ao fim de 30 minutos, tape o bolo com uma folha de papel de alumínio para não queimar. Faça o teste do palito antes de remover do forno.

Retire e deixe arrefecer dentro da forma cerca de 20 minutos e só depois desenforme e deixe arrefecer completamente.

Para o glacé, vá adicionando gradualmente sumo de limão ao açúcar em pó, até atingir a consistência desejada. Decore o bolo a gosto com o glacé.


E como é da praxe, vamos agora conhecer um bocadinho mais sobre o Célio e o seu blog.

BI do Blog: 
Criado por Célio Cruz em Outubro de 2012, mas apenas tornado público em 01 de Abril de 2013

Como nasceu o Sweet Gula?

O Sweet Gula nasceu da vontade que tenho em partilhar as receitas que vou confecionando. Porque mais do que comer, para mim cozinhar é um prazer. E poder partilhar os meus pratos com familiares, amigos e conhecidos é algo que me deixa feliz. Sempre gostei de cozinhar, e o mundo da cozinha sempre me fascinou. Lembro-me de ser pequeno e recortar das revistas que a minha mãe comprava, as imagens das receitas e com elas fazia colagens e criava os meus cadernos de receitas.

Mais tarde surgiu a internet e com ela vieram os blogs. Comecei por seguir alguns cujas receitas me fascinavam e tentava recriá-las em casa. Tinha um blog pessoal, onde cheguei a partilhar algumas receitas minhas e reparei que haviam pessoas que iam lá comentar e queriam saber mais sobre a dita receita. Então pensei “porque não criar o meu caderno de receitas online?!”, e foi assim que decidi criar o blog. Surgiu numa altura em que eu necessitava de algo que me ocupasse os tempos livres, que ao mesmo tempo me deixasse realizado e que gostasse mesmo de fazer. Acho que foi uma decisão certeira, pois o blog em apenas um ano cresceu muito e também eu aprendi bastante e tenho enriquecido com ele, como ser humano.

Quem é o Célio fora do blog?

Fora do blog, sou militar de profissão. Ingressei na Marinha há 16 anos atrás e lá resolvi ficar e fazer carreira. Especializei-me em Eletrotecnia, especialidade que sempre exerci mas mais tarde ingressei na área de aeronáutica e hoje trabalho exclusivamente com os helicópteros da Marinha como Técnico de Manutenção. É uma unidade pequena com cerca de 200 pessoas, onde algumas delas são provadoras das minhas experiências culinárias. Sabe bem chegar ao trabalho de manhã e antes de um “bom dia” ouve-se um “trouxeste bolo?”. Claro que o “bom dia” vem logo a seguir. 

Gosto e tenho orgulho na minha profissão, mas cada vez mais tenho a certeza que se tivesse enveredado pelo mundo da culinária, se calhar sentir-me-ia muito mais realizado.
Sou casado há dez anos e cá em casa sou eu que mando na cozinha (lol). Adoro chegar a casa e ir cozinhar, experimentar receitas novas e novos ingredientes.
Para além disso, gosto de ler, viajar e fotografar. Para onde quer que vá a máquina fotográfica vai sempre atrás, se bem que com o aparecimento dos smartphones, por vezes ela é substituída.

O que gostas mais de cozinhar?
Gosto de cozinhar um pouco de tudo, mas onde me sinto mais confortável e o que me dá realmente prazer cozinhar, são os doces e as sobremesas. Talvez porque desde criança, ajudava a minha mãe a fazer os bolos, naquele tempo ainda sem batedeira ou outros acessórios mais sofisticados. E todo aquele processo de misturar ingredientes, o levedar, ir ao forno e no final sentir aquele cheiro inebriante a bolo quentinho, acabado de fazer, me fascina. Sou guloso por natureza, gosto de tudo o que seja doce, sem exagerar, claro. Mas também gosto muito de fazer pratos principais, com os legumes frescos que chegam da horta do meu sogro, são mais saudáveis e por isso me dão mais prazer confecionar e comer.

Alguma historia relacionada com a cozinha?
Algumas, sim. Lembro-me por exemplo de ser pequeno, estar sozinho em casa e tentar fazer um bolo. O bolo não cresceu e ficou pegado à forma, partindo-se ao desenformar. Frustrado, dei a comer o bolo ao cão, para não ser descoberto. Mas as histórias que mais gosto de recordar são os momentos de partilha, às refeições, com a família toda reunida em volta da mesa, enquanto comíamos uma bela sopa feita ao lume numa panela de ferro que a minha mãe tinha. Ou as torradas que ela fazia, aproveitando o calor das brasas e que me dava a provar, untadas de azeite. Lembro-me também do cheiro do pão, cozido em forno de lenha e que eu comia com prazer, untado com manteiga.

Uma situação actual, relacionada com a cozinha, é o facto de a minha esposa ir aos arames comigo, pelo número de acessórios e peças de louça desirmanadas que eu vou acumulando em armários e prateleiras por toda a casa. Com o blog, incrementei o gosto pela fotografia e com alguma frequência vou adquirindo peças de louça usada em feiras de velharias e lojas de especialidade.

País ou viagem mais marcante [ou de sonho]?

País para viver adoro o nosso. Tive a oportunidade de emigrar, mas achei que nunca trocaria o nosso clima, o nosso sol, as nossas praias por nada deste mundo. Para além de que temos um país lindíssimo para passear e conhecer. Adoro “perder-me” pelas aldeias de Portugal e conhecer as gentes que aí habitam, bem como a gastronomia de cada região. 

O país que, sem dúvida mais gostei de conhecer, foi a Noruega. É um país lindíssimo, tive o privilégio de navegar pelos fiordes noruegueses e a sensação é fantástica. Cenários que estamos habituados a ver apenas em filmes e que custa a acreditar que estamos ali a viver aquele momento. Também gostei muito de visitar a cidade de Bruges, na Bélgica. Uma cidade encantadora, pitoresca e toda ela recortada por canais e rios que nunca mais acabam. Gostava de visitar Praga e um dia ir à Tailândia.

Espero que tenham gostado! Eu gostei muito de ter partilhado convosco mais um dos meus blogs preferidos ♥

Seguir também em: Facebook | Pinterest | Instagram | Bloglovin

13/04/14

Folar de canela [fácil]


E de repente já estamos na Páscoa! Sinónimo de folar, amêndoas, chocolates e almoços de família! Páscoa sem folar e sem amêndoas de chocolate não é Páscoa! A semana passada o pequeno chegou a casa com um saquinho com um bolinho, pequenino com tom e cheiro a canela. Ao que explicou de imediato que se tratava de um "bolo da Páscoa"! Humm, tão bom, bolinho doce mas saúdável feito por aquelas mãozinhas! Um deleite! Na escola têm um projecto em que experimentam as texturas e formas dos produtos da época e depois fazem uma receita. As receitas têm sempre enfoque no lado saudável. Ele explicou-me que o bolo tinha açúcar amarelo porque era melhor!

Como o folar não pode faltar, este ano quem me ajudou a confecionar foi mesmo o pequeno, ficou numa animação quando a caminho de casa, após a escola, lhe disse que íamos fazer o bolo da Páscoa. Pusemos mãos à obra, fizemos uma receita muito fácil e saíram uns folares muito fofinhos e com um sabor a canela delicioso, como se gosta cá em casa!

Ingredientes:
[para 3 folares pequenos]
1 kg de farinha para bolos [usei Branca de Neve] 
2 ovos
400 g de açúcar branco
100 gr de açúcar amarelo
125 gr de margarina vaqueiro [derretida]
375 ml de leite
250 ml de chá de canela [casca de limão + 2 paus de canela]
1 colher (de sopa) de azeite
1 colher (de café) de fermento em pó
1 colher (de café) de flor de sal
raspa de 1 limão
raspa de 1 laranja
sumo de 1/2 laranja
1/2 cálice de aguardente
12,5 gr de fermento de padeiro [metade de um cubo]


Preparação:
1. Aquecer o leite até ficar morno. Retirar um pouco para uma taça e desfazer neste o fermento de padeiro. Fazer o chá com os paus de canela e  duas tiras de casca de limão, deixar ferver 3/4 minutos, retirar do lume e deixar arrefecer até ficar morno.

2. Juntar todos os ingredientes na taça da batedeira e bater com o gancho de massa até obter uma massa fofa e bem ligada. Retirar a taça da máquina, tapar e deixar a descansar durante 15 a 30 minutos.

3. Untar as formas com margarina e polvilhá-las com farinha. Encher as formas até meio com a massa preparada. Levar ao forno cerca de 50/60 minutos ou até se apresentarem douradinhos e cozidos por dentro [fazer o teste do palito].


08/04/14

Projeto 52 [semana 15/52]


"A portrait of my son, once a week, every week, in 2014."

Isto não tem sido fácil de cumprir.... umas vezes não há fotos que mereçam este destaque, outras vezes porque não há tempo para editar e postar as fotos. E assim, se passaram 3 semanas sem colocar uma foto do pequenino! 

Este é mesmo o meu pequenino, a rir, bem disposto e sempre com vontade de explorar!

01/04/14

Bolo de iogurte, canela e maçã e.. um aniversário



Já comecei a escrever este post várias vezes e tenho-o posto de lado sempre que tento novamente. Não sabia como começar.... Mas, aqui vai [um pouco atrasado, pois já foi há quase duas semanas, mas a intenção é que conta!]

Sete anos passaram desde que escrevi o primeiro post aqui no blog. Sete anos! O tempo passou tão depressa! Parece que foi ontem que pensei em criar um espaço onde pudesse registar as receitas cá de casa, para estarem sempre em local acessível e poder partilhá-las com os amigos. O tempo passa mesmo num ápice! Assim foi passando o tempo desde que tenho este espaço onde venho quando posso e quando tenho vontade de escrever e partilhar. Nem sempre o blog esteve "ativo", nem sempre teve novidades e coisas boas, foi sempre sendo actualizado ao sabor da vontade. 

Este é um espaço onde escrevo sobre o que gosto, sobre o que sinto, sobre o que mais gosto de partilhar. Onde partilho um bocadinho de mim, de nós cá de casa. O que mais me faz feliz é ver que por cá passam muitas pessoas, recebo as suas visitas e as suas palavras de braços abertos e com um grande sorriso. 

Com o blog veio também a imensa vontade e prazer de cozinhar, principalmente, bolinhos, bolachas, sobremesas, por eu sou mais doces! A vontade de comprar mais livros de cozinha [tantos!]. A vontade de aprender cada vez mais técnicas de fotografia, foodstyling e tratamento de imagem. A vontade de ir por aí aos mercados biológicos comprar as frutas e legumes da época para preparar lindas e coloridas receitas. A vontade de ir aos mercados de velharias à procura de louças e talheres vintage.  


Agradeço a todos os que passam por aqui todos os dias, os que gostam de ler o que escrevo e os que experimentam as coisas que partilho. Agradeço por me fazerem sorrir e por ter vontade de continuar. Hoje celebro convosco estes sete anos com este bolinho que chama a Primavera com estas flores do campo colhidas num lindo passeio. 



Bolo de iogurte, canela e maçã 

Ingredientes:

Massa:
225 gr de farinha para bolos
1 colher (de sobremesa) de fermento 
1 colher (de sopa) de canela em pó
150 gr de açúcar
75 gr de avelã finamente trituradas
2 ovos
50 gr de mel
250 ml de iogurte natural
150 ml de óleo de girassol
425 gr de maçã [usei Golden]

Cobertura:
50 gr de avelãs trituradas grosseiramente
4 colheres (de sopa) de leite
1 colher (de sopa) de manteiga sem sal

Preparação:
Pré-aquecer o forno a 180 ºC. Untar uma forma com um fio de azeite, forrar o fundo com papel vegetal e polvilhar as laterais com farinha.

Peneirar a farinha com o fermento e a canela para uma taça grande, adicionar metade do açúcar e as avelãs, misturar tudo muito bem. Reservar.

Descascar as maçãs e cortar em pequenos pedaços, juntar o açúcar restante e levar ao lume com 3 colher de sopa de água. Deixar cozinhar durante cerca de 10 minutos ou até estarem suficiente macias para reduzir a puré. Deixar o puré arrefecer um pouco [deixar ficar morninho].

Noutra taça, bater os ovos com o iogurte, o mel e o óleo até obter uma mistura homogénea. Adicionar o puré de maçã e incorporar bem. Juntar esta mistura aos ingredientes secos e mexer até ambas as misturas estarem completamente incorporadas.

Levar ao forno durante 35/40 minutos [ou até quando inserir um palito no centro do bolo, este sair completamente limpo]. Retirar do forno, desenformar e deixar arrefecer ligeiramente. 

Entretanto, levar ao lume todos os ingredientes da cobertura, cozinhar até ficar com um tom castanho claro [cerca de 5/8 minutos em lume brando]. Deitar sobre o bolo e deliciar-se!


Espero que gostem! É um bolinho perfeito para acompanhar uma bela e fumegante chávena de chá, que tanto apetece nestes dias em que a Primavera teima em não ficar por cá. Já têm a água ao lume?

Seguir também em: Facebook | Pinterest | Instagram | Bloglovin

27/03/14

Tarte de chocolate e morango



Aproveitei a manhã de sábado cheia de sol, agarrei no pequeno e rumámos ao mercado [ver aqui no Instagram]. Adoro ir o mercado, já disse por aqui. Sempre que vamos de férias, um dos pontos de passagem é sempre um mercado local. No mercado podemos ver as pessoas locais, os seus hábitos, os produtos da época e as diferentes utilizações dadas, as cores, os cheiros, a agitação do sítio e tantas outras coisas. Este sábado, trouxemos imensas coisas boas e frescas. mas o que pôs a minha cabeça logo a magicar foram estes morangos, pensei logo: "tenho que fazer uma tarte em que estes moranguinhos fiquem inteirinhos e bonitinhos" e assim foi! Pus mãos à obra e com a inspiração da Popina, saiu uma tarte com uma combinação perfeita de chocolate e morango. 

Tarte de chocolate negro e morango
Adaptado do livro Popina Iguarias Saudáveis

Ingredientes:

Base
225 gr de farinha sem fermento
25 gr de farinha de alfarroba*
120 gr de manteiga sem sal, fria, aos cubos
85 gr de açúcar
1 ovo

Recheio
70 gr de açúcar
1 ovo
55 gr de farinha sem fermento
1/2 colher (de chá) de fermento em pó
2 colheres (de chá) de farinha de alfarroba* 
10 gr de manteiga sem sal
40 gr de chocolate preto [usei 70% cacau]

Cobertura
40 gr de chocolate preto [usei 70% cacau]
40 gr de chocolate de leite
150 ml de natas
morangos a gosto

*originalmente a receita era com cacau, mas quando estava a reunir os ingredientes, não tinha, então escolhi substituir por farinha de alfarroba e resultou muito bem.



Preparação:

Base
Colocar a farinha, a farinha de alfarroba, a manteiga e o açúcar no robot de cozinha e picar em migalhas. Adicionar o ovo e misturar de novo. Retirar do robot e formar uma bola. 
Colocar a massa num superficie enfarinhada e estender com um rolo da massa até obter uma espessura de 3 a 4 mm. 

Forrar a tarteira com a massa preparada, cortar a massa em excesso nos rebordos. Levar ao frigorífico enquanto se prepara o recheio. 

Recheio
Bater o ovo com o açúcar na batedeira [usei a vara pinha] até obter um preparado amarelado claro. Envolver delicadamente a farinha, o fermento e a farinha de alfarroba. Derreter a manteiga com o chocolate em banho-maria. Adicionar ao preparado e misturar até estar completamente incorporado.

Retirar a base do frigorifico, deitar a mistura do recheio e levar ao forno pré-aquecido a 180 ºC durante 15 minutos. Retirar e deixar arrefecer 10 minutos.

Cobertura
Lavar os morangos e cortar-lhe os pés. Reservar.
Colocar o chocolate partido em pedaços numa taça. Levar as natas ao lume até ferver, deitar sobre o chocolate, bater com uma vara de arames até obter um creme macio e brilhante.
Deitar sobre a tarte. Deixar solidificar cerca de 10/15 minutos e decorar com os morangos.

Levar ao frigorífico até servir. Espero que gostem, porque nós... Adorámos!

[Bem, para não me sentir muito culpada por este deslize na dieta, congelei metade da tarte para saborear noutro fim-de-semana.]



Seguir também em: Facebook | Pinterest Instagram Bloglovin

20/03/14

Convidei o blog [Ananás e Hortelã]

Sou uma fã incondicional de blogs, sigo vários e de diferentes temas. Adoro a partilha, as histórias, os conselhos e experiências, as fotos, as receitas com ingredientes diferentes, enfim... quando me é possível, passo tempos e tempos a ver as novidades dos blogs que mais gosto.

Há muito tempo que andava com esta ideia na cabeça, criar uma rubrica em que um dos meus blogs preferidos pudesse vir até ao Cozinha Fresh. Há umas semanas atrás decidi pôr em prática esta ideia e contactei a Inês, do Ananás e Hortelã. Falei-lhe do projeto e se ela aceitaria ser a primeira convidada desta nova rubrica. Ela, que é super querida, aceitou e eu fiquei super feliz! 

A ideia é convidar, todos os meses, um blog dos meus preferidos para fazerem uma receita e falarem um pouco de si [ui, são tantos os blogs que eu adoro e que gostava de convidar, espero que aceitem!]. Falemos então do Ananás e Hortelã! Sigo-o há imenso tempo e perco-me sempre nas palavras da Inês sobre os alimentos da época, sobre a natureza, as tradições familiares e o carinho com que fala sempre destes temas. Quanto às maravilhas que a Inês partilha, são isso mesmo, verdadeiras e deliciosas maravilhas, até porque o que a Inês mais gosta são os bolos e bolinhos, assim como eu! 

O tema escolhido para esta primeira rubrica foi "receitas [quase] sem culpa", uma vez que por aqui [ainda] se anda em dieta e sempre à procura de comidas mais saudáveis. A Inês escolheu uns brownies saudáveis, maravilhosos, que são vegan, sem glutén, sem açúcar, sem ovo e lactose. 

Então, vamos à receita! [aviso: o post é longo, mas fiquem até ao fim!]

Brownies de Batata-Doce Saudáveis
(adaptados do blog Deliciously Ella)


Ingredientes:
2 batatas-doces médias
15 tâmaras descaroçadas
½ chávena de farinha de trigo sarraceno
½ chávena de amêndoa moída
1 pitada de sal
4 colheres (sopa) de cacau cru em pó
4 colheres (sopa) de xarope de agave


Preparação:
Forrar um tabuleiro quadrado e pequeno, com papel vegetal antiaderente. Reservar.
Descascar as batatas, cortar em cubos e cozer durante uns 20 minutos até ficarem bem tenras.
Colocar as batatas e as tâmaras num processador de alimentos e triturar bem, até se formar um puré homogéneo.
Numa taça colocar os restantes ingredientes e juntar a eles o puré preparado. Mexer bem.
Colocar a massa no tabuleiro preparado, usando uma espátula para ajudar a espalhar e alisar a superfície, e levar ao forno pré-aquecido a 180ºC, por uns 20 minutos, ou até um palito sair quase limpo.
Deixar arrefecer uns 10 minutos antes de desenformar e cortar em quadradinhos, que podem ser servidos salpicados com cacau em pó.


Não se vão embora ainda, eu sei que o post já vai longo, mas fiquem para ver a pequena "entrevista" que fiz à Inês, de certeza que vão querer saber um bocadinho mais sobre ela e o seu blog.

BI do Blog: 
Criado em Junho de 2011, por Inês (Ginja).

Como nasceu o Ananás e Hortelã?
Já seguia alguns blogs de culinária há algum tempo, e sempre que podia experimentava uma receita nova. Até que um dia comecei a pensar “e se criasse o meu blog de culinária?”. Andei um ano com esse pensamento na cabeça, até que num dia de verão em que só conseguia pensar num sumo natural de ananás e hortelã bem fresco, decidi, “vou chegar a casa, fazer o sumo e criar o blog”. E o nome foi inspirado nesse sumo, pensado na areia da praia, de olhos postos no mar. Começou como uma brincadeira, nada sério, pequenos registos de receitas feitas na minha cozinha. Mas foi crescendo (em receitas e em amigos) e cada vez tenho mais gosto em cozinhar e partilhar as experiências. Cada vez há um cuidado maior na escolha de ingredientes, na escolha da receita, no aprender mais, saber mais sobre comida e fotografia. E cada vez me afeiçoo mais às pessoas que dele fazem parte, porque o blog já é de todos, é uma partilha.

Quem é a Inês fora do blog? 
Eu sou médica veterinária a tempo inteiro, deixando a cozinha para as horas vagas. Trabalho numa clínica de pequenos animais, com cães, gatos e algumas espécies exóticas. Como é uma clínica pequena, acaba por ser um ambiente familiar, e conheço bem a maioria dos clientes e pacientes, que muitas vezes gostam de trocar uns dedos de conversa. Acabo por ser quase “médica de família” de todos. Gosto muito da minha profissão, mas secretamente tenho o sonho de fazer um curso de culinária fora do país. Quem sabe um dia não o concretizo. Adoro animais. Adoro a natureza, a horta, o pomar. Adoro o mar e a praia, passear descalça na areia. Gosto de ler, de ouvir música e ver filmes e séries. Gosto de dias de sol e fazer piqueniques. 

O que gostas mais de cozinhar?
Há imensas coisas que adoro cozinhar, que me dão prazer fazer. A minha cozinha acaba por ser um reflexo dos produtos da época, das partilhas de vizinhos, do que cresce na horta e pomar, e do mercado local e biológico. Sem dúvida que adoro fazer pães doces ou salgados, muffins e queques, bolachas e biscoitos, gelados e sobremesas frescas e saudáveis, mas os bolos e os bolinhos são os meus favoritos! Adoro aos domingos escolher uma receita e fazer um bolo para o lanche, para partilhar com os meus. Desde pequena que me lembro de os fazer com a minha mãe e avó, de ajudar a mexer a massa, de rapar a taça, de fazer mini bolinhos. E ainda hoje é com um bolo que mais sorrisos se espalham. 

Alguma história relacionada com a cozinha?
Há tantas histórias e memórias vividas à volta da mesa. Lembro-me de um dia há muitos anos atrás, ter feito um bolo com uma cobertura de chocolate, e não tinha o chocolate em pó que a receita pedia. Usei cacau e esqueci-me completamente de adoçar, resultando numa cobertura amarga. O meu avô, que era diabético mas muito guloso, às escondidas passou o dedo na cobertura e não gostou (não era doce) e disse-me logo antes de o sequer provarmos que eu tinha feito um bolo amargo. Foi logo descoberto! Outra coisa que pode acontecer, a meio de uma produção fotográfica para o blog, e por desleixo meu, enquanto preparo o cenário e coloco a comida, e vou preparando mais umas coisas, às vezes acabo sem comida ou parte dela, roubada pela cadela ou gato gulosos. E lá volto eu para a cozinha frustrada mas a rir-me. 

País, viagem marcante ou de sonho?
Gosto de viajar, apesar de não o fazer tantas vezes quanto gostaria. Adoro descobrir sítios lindos no nosso país (um ir para fora cá dentro de 2 ou 3 dias). Uma viagem que me marcou bastante foi à Suécia, por ter ido com quem fui, por ter feito coisas que nunca tinha feito, por ter visto paisagens lindas e bosques daqueles de encantar, por ter remado num lago enorme e cristalino, por ter acampado no meio da natureza. Depois, gostei imenso de ter morado uns meses em Barcelona, uma cidade que me fascina, e por ela me apaixonei em cada rua, em cada pedaço de arte espalhado nela, pelas tapas e os churros com chocolate, pela luz, pela aprendizagem que foi. 
Viagem de sonho tenho várias, desde Itália (Florença e a Toscana), pela gastronomia e pela riqueza. E adorava Marrocos, Índia, Tailândia e por esses caminhos fora.

Espero que tenham gostado! Eu gostei muito de ter partilhado convosco um dos meus blogs preferidos ♥

Seguir também em: Facebook | Pinterest Instagram Bloglovin

19/03/14

Trufas de chocolate para o Dia do Pai

Estas trufas estão guardadas há imenso tempo! Guardadas no computador, porque as trufas propriamente ditas já foram saboreadas há muito tempo. De repente lembrei-me, o Dia do Pai está a chegar, até houve um giveaway e eu não tenho nada preparado para celebrar esse dia aqui no blog. Pensei, pensei e depois eis que me veio à ideia, estas lindas trufas que fiz para oferecer a alguns amigos no Natal. Nada melhor que isto! Até porque a quem elas mais encantaram foi mesmo ao pai cá da casa. 

Acho o Dia do Pai uma comemoração gira, sempre achei! Lembro-me da preparação do presente na escola e guardar segredo sobre o que se andava a preparar. Agora é o meu pequeno que prepara a prendinha para o papá e vem todo vaidoso com a sua obra que depois oferece cheio de orgulho. O pai, esse, claro, adora esses mimos! E hoje, é dia de miminhos!

Voltando às trufas, aprendi esta receita num workshop de chocolate que fiz em Dezembro. Foi muito interessante, eu como aficionada por chocolate, estava mesmo "na minha praia". Estas trufas não são aconselhadas a quem não gosta de chocolate com sabor forte :) ah, ah.


Ingredientes:
250 gr de chocolate 70% cacau [boa qualidade, usei Pantagruel]
100 ml de natas
15 gr de manteiga à temperatura ambiente
raspa de 1 laranja*
cacau em pó
coco ralado (opcional)
*em alternativa pode ser usado uma bebida a gosto, normalmente as bebidas mais usadas são o rum e o conhac.


Preparação
Ferver as natas. Partir o chocolate em pequenos pedaços. Verter as natas sobre o chocolate e mexer até este derreter bem. A meio deste processo, adicionar a manteiga e misturar bem. Juntar a raspa de laranja ou a bebida  a gosto.
Colocar a mistura de chocolate no frio, até estar firme o suficiente para trabalhar as trufas [cerca de 30 minutos].
Com a palma das mãos, formar pequenas bolinhas com a mistura de chocolate, passá-las por cacau em pó ou coco [em alternativa também podem usar frutos secos ralados, confetis].

Nota: para moldar as trufas, aconselho o uso de umas luvas de latex, pois as mão ficam mesmo muito sujas e pegajosas. 

Espero que gostem, por aqui nós adoramos! O difícil é comer só uma!!!
Feliz Dia do Pai!♥

Seguir também em: Facebook | Pinterest Instagram Bloglovin

17/03/14

Projeto 52 [semana 12/52] e um passeio


"A portrait of my son, once a week, every week, in 2014."

Acordámos cedo, despertados pelo pequeno madrugador, perante um dia lindo com um sol radiante, decidimos sair! Saímos e só voltámos à noite! Um passeio por vilas já conhecidas, mas que valem a pena serem revisitadas. 
Rumámos ao interior, com destino a Mértola, vila alentejana com vista para o Guadiana e para Espanha. E depois um almoço num já conhecido restaurante em Serpa! Um sábado cheio de sol e de sorrisos!








09/03/14

Primeiro giveaway para celebrar o dia do Pai


O mês de Março traz algumas novidades aqui no blog. É mês do aniversário do blog, de inicio de uma rúbrica nova que trará novidades e que me deixa muito contente e do primeiro Giveaway.

É com um enorme prazer que anuncio que o primeiro Giveaway do Cozinha Fresh será para celebrar o Dia do Pai, que é já no próximo dia 19 de Março! Já repararam que está quase a chegar?

Para começar bem, nada melhor do que uma parceria com uma marca algarvia, que prima pela qualidade, design e utilização dos produtos regionais. Para quem ainda não conhece, o Amour Gourmet é uma marca de produtos que alia o sabor artesanal à elegância e requinte do packaging. Uma marca destinada a espaços gourmet e de mercearia fina, que conjuga os sabores mais tracionais e regionais com o chocolate e licor. Funciona em parcerias com os produtores locais que trabalham o produto de forma artesanal, diferenciando-se pela qualidade e design. Agora surge o conceito Love Project by Amour Gourmet. Duas pessoas juntaram-se, uma traz a paixão a outra o saber e criaram a simbiose perfeita entre o chocolate e a flor de sal. Temperaram o chocolate atribuindo-lhe um sabor distinto, romântico e salgado! Porque a vida querer-se assim.. (temperada)! Espreitem o site do Amour Gourmet, não se vão arrepender :)

O Cozinha Fresh e o Amour Gourmet têm para oferecer um pack de produtos gourmet composto por um licor de canela e uma caixa de chocolate negro com flor de sal, para se habilitarem a ganhar, basta: 

Fazer "Gosto/Like" na Página do Cozinha Fresh
Fazer "Gosto/Like" na Página do Amour Gourmet
Partilhar publicamente o giveaway no vosso mural
Comentar o post do giveaway na página do Cozinha Fresh escrevendo "partilhado"e sugerir o giveaway a três amigos
[as instruções também estão todas na página Cozinha Fresh]

O passatempo termina dia de 17 de Março às 23h59 e o vencedor será escolhido por sorteio através do random.org. O resultado do passatempo será anunciado até ao dia 18 de Março. [Passatempo válido para Portugal e Ilhas]
Espero que gostem ♥

Seguir também em: Facebook | Pinterest Instagram Bloglovin

04/03/14

Tarte de tomate, queijo de cabra e manjericão


Esta tarte tem umas cores que chamam a Primavera. Entrámos no mês da Primavera, começamos a sentir os dias mais quentinhos, apetece vestir roupa e a casa de cores mais claras, mais alegres, começam a apetecer as saladas e sonham-se com os dias mais quentes e os fins de tarde com tons alaranjados. Esta tarte vem de um livro recheado de deliciosas iguarias saudáveis. É a segunda vez que a fazemos e acho que não ficamos por aqui.

A massa fica fofinha e com um sabor bem agradável. É uma óptima opção para quiches e pizzas. Depois desta massa, acho que não compro mais massa fresca no supermercado!

Tarte de tomate, queijo de cabra e manjericão
(adaptado de Popina Iguarias Saudáveis)

Ingredientes:
Massa:
220 gr de farinha sem fermento
1 colher (de chá) de fermento em pó instantaneo
1/3 de colher (de chá) de flor de sal
2 colheres (de sopa) de azeite
1 ovo
80 ml de água quente

Recheio:
2 ovos
100 gr de iogurte grego
100 gr de queijo de cabra fresco, esmagado
1 colher (de chá) de fermento em pó instantaneo
50 gr de  farinha sem fermento
1 colher (de chá) de flor de sal
pimenta preta moída no momento (a gosto)
2 colheres (de sopa) de manjericão fresco picado finamente
3 tomates
1/2 cebola roxa
40 gr de queijo fresco esfarelado
1 fio de azeite
folhas de manjericão para decorar


Preparação:
Pré-aquecer o forno a 170 ºC. Preparar uma forma de 23 cm, ondulada com fundo amovível, pincelando com um pouco de azeite. Retirar o excesso com um pouco de papel absorvente. 

Massa: Misturar a farinha, o fermento e o sal numa tigela. Fazer um buraco no meio da mistura e juntar o azeite, o ovo e a água. Amassar todos os ingredientes à mão, até obter uma massa macia. Transferir a massa para uma superficie enfarinhada e amassar durante alguns minutos. A massa ficará mole e não pegajosa, bastante maleável [se ficar a colar, juntar um pouco mais de farinha e voltar a amassar]. Estender a massa com um rolo, até obter um círculo com cerca de 3 mm de espessura. 

Recheio: Numa taça, juntar os ovos, o iogurte, o queijo, o fermento, a farinha, o sal, a pimenta e o manjericão. Envolver bem e reservar. Picar dois tomates, finamente e fatiar o outro. Fatiar a cebola. 

Montagem: Forrar a tarteira com a massa preparada, não cortar logo os rebordos. Deitar o creme de recheio preparado, uniformizar a superficie. Juntar o tomate picado, depois dispor sobre este as fatias de tomate e de cebola. Espalhar o queijo de cabra por cima e regar com um fio de azeite. Recortar o excesso da massa no rebordo. 

Levar ao forno durante 30 minutos ou até estar douradinha. Retirar do forno, salpicar com folhas de manjericão fresco e servir. [nós comemos morninha]


Seguir também em: Facebook | Pinterest | Instagram | Bloglovin